domingo, agosto 23, 2015

Impossível se conformar

Entre 14 e 28 Julho, pela primeira vez eu e minha família não tiramos férias para ir para o Brasil, resolvemos fazer nossa primeira Eurotrip juntos. Foram maravilhosos cinco dias em Londres e cinco dias em Paris e três dias em Montpellier no sul da França. Minha experiência na Europa tinha sido apenas em Porto (Portugal) e Madri (Espanha), em ambos locais tive uma excelente experiência.

Voltando para Eurotrip deste ano, sem dúvida Londres foi a melhor parte da viagem, povo educado ao extremo, clima estava ótimo, cidade linda, sistema de transporte perfeito e claro: é a terra do Iron Maiden! Que diga-se de passagem tive a oportunidade de ir no primeiro pub que eles tocaram:

WP_20150716_036

Londres foi perfeito! Paris….humm, que decepção! Não pela cidade em si, as belezas, a comida, os prédios antigos, não por isso…na realidade isso salvou a ida, foi pelo povo truculento mesmo. Pessoas rudes que em pleno um centro turistico como Paris ficam com cara feia se você não fala Francês e quase não se esforçam para entender o que você fala. Mas, apesar da truculência, tivemos excelentes momentos.

Peraí Yuri, e o que tem haver isso com o título deste post (impossível se conformar)? Cara, quando eu estou viajando eu sempre me lembro da minha terra de origem, das belezas naturais da minha Fortaleza e do potencial da terra. Aí bicho, penso: poxa, seria tão bom se as coisas de fato estivessem funcionando naquela terra!!

Ao “tentar” assistir o jornal com notícias do Brasil eu só vejo desgraça. Uma que me revoltou muito foi essa aqui: Dupla tenta roubar bicicleta de turista na praia e quase leva criança. Eu sou Pai, e ao ver este vídeo fiquei desesperado, pois eu apenas imagino o desespero do Pai ao tentar salvar o filho.

Agora veja só, esta é uma praça onde as pessoas em teoria deveriam se divertir com a família, andar de bicicleta, cutir o mar, etc. Aí acontece isso, e segundo os moradores isso acontece todo dia. Agora me diz, o que adianta morar em frente ao mar e não ter segurança?

Aí voltamos para minha Fortaleza, vou passando as notícias e vejo: Americano agredido no Ceará deixa país e escreve carta: 'Não venham'. Aí vem um monte de bairrista e diz: “também, não sabe aonde anda!” Sério que agora a culpa é do assaltado/agredido? Em plena luz do dia em uma praia movimentada? Ao passo que as autoridades tem total culpa nisso, o povo também ajuda, pois ao invés de cobrar fica defendendo o lugar que mora, com comentários do tipo: “Grigo besta não diga por aí que não volte, amo minha Fortaleza”. Peraí, é o que? Macho, tu que fala isso é total parte do problema. Me lembra diretamente aquela mãe que ver o filho fazer coisa errada e ao invés de corrigir passa a mão na cabeça. Que porra de amor é esse? Estas criando um futuro delinquente?

Tá tudo errado…tudo! O criminoso tem direito de sair da prisão no dia dos Pais, e o que ele faz? Veja o que ele faz: Jovem é preso após espancar e abusar de idosa durante saidinha do Dia dos Pais. Essa senhora é um pouco mais nova que minha mãe, e aí? Que lei é essa que libera criminoso?

Por isso o título deste post, pois após visitar outros países além do que moro, vejo que o Brasil está longe de ser um local onde eu recomendaria minhas filhas a morarem. Para mim é triste dizer isso, mas não comprometo a segurança da minha família por “amor a pátria”, até mesmo por que amor de uma via só não funciona, é preciso que a recíproca seja verdadeira.

3 comentários:

Vics Smith disse...

concordo em grau e gênero. muito triste sim, mas a realidade. o Brasil tem o potencial de ser primeiro mundo, o povo coletivamente tem que querer e lutar por isso. o que vejo acontecer muito é cada um por sim é Deus para todos. aqui nos Estados Unidos, a comunidade sempre pensa no melhor de todos, se uma casa é assaltada eles procuram arrumar para o bairro, não colocar grades e muro só naquela casa e passar o problema pro vizinho.

Júnior Cavalcante disse...

Pela primeira vez fui testemunha ocular dessa violência e em frente a minha casa, onde presenciei assalto à mão armada à minha esposa e outros 4 familiares, em pleno sábado à tarde, ontem fizeram 2 semanas do ocorrido. Testemunhei o assalto bem na hora que chegavam e na hora abri o portão. Deu uma revolta com impotência, pois por mais que seja forte ou bem preparado em alguma arte marcial, não somos Superhomens à prova de balas. Causou um trauma enorme à minha esposa. Estou estudando a possibilidade de ir para o Canadá, pois vejo a possibilidade menos difícil.

Jorge Barata disse...

Yuri, você disse tudo e compartilho sua opinião e indignação. O Brasil está afundando cada vez mais e Fortaleza, ah Fortaleza...! Complicado, viu!

Com relação a reação dos bairristas, a situação não muda por causa desse modo de pensar e agir (ou não agir!).

Com relação a violência, vou contar só uma. Estou dando aula em uma faculdade em Messejana, perto de uma favela. Em uma sexta-feira, além de assaltarem uma aluna, ouvimos tiros e sirene de polícia quando estava saindo, às 22:00hs. Macho, me deu um medo, meu "possante" virou uma Ferrari nesta hora, rsrs!!!

Abração!!