domingo, março 26, 2017

A Internet Revela a Verdadeira Face das Pessoas

Vamos começar este texto com essa charge do Dilbert, que cabe perfeitamente neste contexto:


Pois é pessoal, infelizmente a Internet revela o lado mais sombrio e idiota de muitas pessoas. Por trás de um comentário em anônimo, que não agrega absolutamente nada, e apenas faz uma crítica destrutiva, tem um ser humano frustrado, que não conseguiu o nível de sucesso alcançado pela pessoa que ele está criticando e precisa diminuir com palavras o trabalho daquela pessoa. Simplesmente uma triste realidade nos dias de hoje.

Você pode ir nestes sites como Globo, Uol, entre outros e comece a ler os comentários que as pessoas fazem a respeito de outras. É simplesmente nojento! Equanto existem dois comentários de suporte e apoio, existem dez que criticam, escrevem palavrões, tentam tirar o mérito da pessoa, em fim....uma cena ridícula.

O que faz uma pessoa perder seu tempo precioso (pois tempo é dinheiro) criticando outra que nem conhece, sem sequer se colocar no lugar dela? Por que é tão complicado aplaudir o que outra pessoa alcançou? Tem gente que teima em procurar o erro ao invés de olhar os acertos. Isso me lembra muito um gerente que eu tive que sempre que chegava a época de revisão de final de ano e eu trazia o relatório completo de tudo que tinha feito, ele olhava tudo na busca de um erro...mesmo que fosse irrelevante, mas ele sempre começava a reunião enfatizando aquele erro que ele achou. Falava sobre aquilo por uns 20 minutos (lembrando que o erro representava 5% do montante de 100%) e tirava 5 minutos para elogiar (o que representava 95% do montante de 100%).

Esse tipo de gerente não tem futuro, vai morrer sendo um gerente medíocre, que os funcionários que reportam para ele vão sair do time na primeira oportunidade. Note que não estou dizendo que não há margem para melhora, é claro que há, sempre existe. Mas, o papel do gerente é agir como um “coach” e guiar-lhe na melhora contínua, e para melhorar continuamente você precisa sentir-se valorizado, achar que está no caminho certo, receber críticas construtivas e com isso assimilar o fato que sempre há margem para melhoras.

Da mesma forma que existem gerentes como esse no mercado, também existem profissionais que simplesmente não aceitam que um colega de trabalho tenha mais sucesso que você. Ele te apoia até o dia que ele percebe que você está passando dele, aí ele vai começar a te sabotar, encontrar pequenos defeitos que ele vai transformar em algo grande para tentar provar que você não é esse profissional que parece ser.

Libertem-se destes sentimentos, se querem de fato crescer como profissionais, antes de mais nada lembre-se que ajudando outras pessoas e outros profissionais você está ajudando a si mesmo. Você está desenvolvendo skills que não tem curso ou treinamento que lhe prepare para isso. Se uma pessoa que você foi mentor durante um bom tempo tornou-se tão boa que passou de você, não fique chateado, pelo contrário, sinta-se orgulhoso e feliz por essa pessoa.

Comporte-se de forma educada online, se não tem nada legal para comentar, não comente nada. Não caia nessa de “vou sentar o farrapo pois estou no animato”, isso não agrega em nada, e a pessoa que recebeu o comentário anônimo vai simplesmente ignorar você, sorrir e achar que você é um despeitado que não merece atenção. Tem tantas formas de melhorar como pessoa e como profissional, perder tempo criticando os outros é a pior forma de você usar seu tempo.

Use seu tempo para construir e não para destruir!


quinta-feira, fevereiro 02, 2017

Sempre vão te criticar, seja você mesmo assim

Na realidade nos dias de hoje vai muito além da crítica, há cenários que as pessoas que nem lhe conhecem já partem para agressão com palavras. Muitas vezes isso ocorre devido a exposição em redes sociais, que infelizmente para muitos profissionais é algo necessário. Presença em LinkedIn e Twitter são primordias para profissionais de tecnologia, já o Facebook cai no relacionamento pessoal que algumas vezes pode ser usado para o profissional.

O que você clica, o que você curte, o sentimento que você expressa online é visto pela sua rede, e é a partir disso que as pessoas começam o julgamento. Fala-se muito em “diversidade” e menos “preconceito”, mas se você gosta de algo que não está dentro da agenda de um certo grupo, você já é tratado de forma diferente. Luta-se para o mundo sem rótulos, mas se você faz “isso”, você é rotulado “daquilo”. Para que exemplo maior que os tais apelidos criados no Brasil nos últimos anos “Coxinha” e “Mortadela”, não vou nem entrar no mérito político não, pois você já sabe do que se trata.

Aqui nos EUA é a mesma coisa, se você nao curte um post contra o Trump você imediatamente é visto como sendo a favor do Trump, e se for a favor do Trump você já é tachado de racista, intolerante, etc. E essa intolerância vem justamente dos que pregam a tolerância e diversidade. Por sorte, existem alguns (poucos) que admitem que esta forma de rotular as pessoas por não fazerem parte do seu “grupinho” é pura hipocrisia. O apresentador Jon Stewart (que é democrata e votou na Hillary) foi preciso quando disse as frases abaixo em uma entrevista logo após as eleições:

“Na comunidade liberal, você odeia a idéia de monolítico. Não olhe para os Mulçumanos como monolítico.” Neste momento ele se refere a questão de que nem todo mulçumano é terrorista. Ele continua:

“Mas todo mundo que votou no Trump é racista. Isso é hipocrisia.” Ele inclusive cita o exemplo do vizinho dele:

“Tem uns caras na minha vizinhança que eu amo, eu respeito,  que eu acho que tem qualidades incríveis, que não tem medo de Mexicanos, que não tem medo de Mulçumanos, mas que votaram no Trump por que estavam com medo do preço do plano de saúde continuar subindo.”

Fonte: a entrevista completa pode ser vista aqui.

Pois é, essa é a atitude e o comportamento das pessoas que usam a razão ao invés da emoção, pessoas que de fato incorporam a palavra tolerância e diversidade. Infelizmente pessoas como Jon são a minoria, pois a maioria prega a diversidade, mas desde que seja dentro dos parâmetros delas.

Infelizmente está cada vez mais complicado viver sem ser tachado de algo, se você trabalha muito, começando do zero (como foi o caso de pessoas como Steve Jobs, Bill Gates – que começaram em uma garagem) você é tachado de capitalista selvagem. Tanto Steve quanto Bill criaram um império que emprega milhões de pessoas diretamente e indiretamente, provavelmente criaram mais emprego que qualquer governo socialista, mas no mês passado quando saiu a lista dos homens mais ricos do mundo e dizendo que eles controlam a maior riqueza do mundo, você houve comentário como: esse é o problema do mundo, só estes são ricos! Sério mesmo? Quer dizer que a vitória deles também não transformou (para melhor) a vida de muita gente? Eu mesmo tenho uma eterna gratidão pelo Bill Gates, sem ele eu não seria o que sou hoje, tudo que tenho hoje é fruto do trabalho que venho fazendo no mercado Microsoft desde os meus 18 anos de idade, ou seja, a 24 anos tirando proveito deste ecosistema criado por Bill.

Por isso que eu digo: fazendo certo, certíssimo, ou super correto, sempre, SEMPRE vão te criticar, e você precisa continuar buscando o melhor com ética e trabalho dia após dia. Seja você, não vire algo para agradar a multidão, não precisa ir no bonde de onde a maioria está indo só para “aparecer legal”, tenha personalidade para continuar sua própria jornada.


Sabe o conto do Sapinho surdo? Não, pois é, assista o vídeo abaixo (em inglês) e entenderá. Observe a mensagem final e acima de tudo: SEJA FELIZ! 


terça-feira, janeiro 03, 2017

Atributos da Mentalidade do Crescimento

O tema da palestra que ministrei em Dezembro do ano passado para um grupo de estudantes no Brasil foi: mentalidade do crescimento. A palestra teve como base o livro Mindset: The New Psychology of Success. Esse livro foi adotado pela Microsoft, recomendado pelo Bill Gates e vem trazendo excelente resultados nos indíviduos que venho mentorando no trabalho. Você pode ter uma mentalidade “fixa” ou uma mentalidade de crescimento, exemplos:

·        Mentalidade fixa
o   Sucesso vem normalmente
o   Foco no resultado final
o   Inteligência é algo fixo

·        Mentalidade do crescimento
o   Sucesso é fruto de trabalho duro e consistente
o   Foco no crescimento através da prática
o   Inteligência é algo que pode ser desenvolvido

Saber identificar qual o seu tipo de mindset suma importância para seu sucesso e para o auto melhoramento. O fato é que todos iremos em algum momento da vida passar por momentos turbulentos, com adversidades, obstáculos, teremos decepções, vamos passar por momentos difícieis e iremos cometer erros. Porém, o que vai determinar seu SUCESSO no final de tudo isso é a forma que VOCÊ reage a estes eventos. Sua MENTALIDADE e seu nível de RESILIÊNCIA vão determinar como você vai passar por tudo isso e continuar sua caminhada.

Um outro atributo da mente do crescimento é não ter medo de falhar, falhas são importantes, desde que você aprenda com elas. Você fez algo e não deu certo, agora aprenda com a sua falha (esse passo é muito importante) e faça de novo, mitigando as possíveis situações que lhe levaram a falhar na primeira vez. Na maioria das vezes as pessoas que tem medo de falhar são mais sucetíveis a ficarem desistimuladas com o que os outros pensam, ou dizem. Isso precisa ser trabalhado para que você consiga de fato ter uma mentalidade do crescimento. Na palestra usei os seguintes indivíduos como exemplo:


Agora vejamos o que há de comum entre eles quando os mesmos estavam ainda no começo de suas vidas profissionais:
  •         Einstein: o professor dele disse que ele era academicamente abaixo da média.
  •         Michael Jordan: o treinador dele disse que ele não tinha talento.
  •         Walt Disney: ao tentar entrar no mercado, disseram que ele não tinha criatividade ou imaginação.

Todas estas críticas foram ditas no começo da carreira, naquele momento que o profissional está tentando se estabelecer. Agora veja, se eles não tivessem a mentalidade do crescimento o que eles iriam fazer? Provavelmente ficar “desestimulados” e desistir, mas não, eles ouviram e procuraram trabalhar para melhorar. É JUSTAMENTE ISSO!!! Nós somos uma máquina em constante evolução, vamos receber críticas e precisamos fazer a nossa auto-avaliação para identificar onde estamos errando e melhorar.

Sem a mente do crescimento estamos indo em direção a um “mindset” onde todos querem uma medalha de participação, não existe esforço para ganhar, não existe esforço para melhorar ou para crescer como pessoa ou profissional (geração mimimi? Exato!).

Se você quer de fato fazer algo para você em 2017, procure evoluir seu “mindset” e trabalhe diariamente para isso. Não receba críticas como “coitadinho”, reaja de forma positiva, procurando melhorar. E outra, saia da fase de planejamento!! Planejar é importante, mas planejar sem executar não leva a nada. Execução consistente e precisa do planejamento é o que leva a resultados reais.

Um 2017 repleto de aprendizado e conquistas para todos!

segunda-feira, dezembro 19, 2016

Nunca Ignore um Sonho

Este post vai ser rápido, assim como foi esse ano de 2016, assim como foi tudo que aconteceu esse ano - rápido e intenso. Em Maio deste ano tive a oportunidade de assistir o Jason Bonham, filho do grande Baterista do Led Zeppelin, John Bonham tocar no House of Blues Dallas. Na oportunidade ele tocou uma das músicas que mais gosto do Led, que é Whole Lotta Love, gravei o vídeo abaixo:


Jason não toca simetricamente todas as notas que o pai tocou na gravação original (ele pula algumas viradas e introduz outras), ele adiciona seu próprio estilo na música e ficou muito bom. Pois é, ontem tive a oportunidade de tocar neste mesmo palco, nesta mesma plataforma que Jason tocou, e a mesma música.


Fechando o ano com mais um “green mark” no meu checklist de “sonhos alcançados”....pois é amigos, a vida não é só trabalho e se todos seus sonhos são ao redor de trabalho, é bom rever seus conceitos - pois o tempo passa rápido e muitas vezes ao vivermos no eterno foco do trabalho, esquecemos de viver outras experiências. Mantenha o baleceamento entre trabalho, família, amigos e hobbies pessoais. Será mesmo que todos seus sonhos giram em torno de se suceder bem no emprego? É só isso mesmo que você quer da vida? Na minha entrevista (em inglês) para o programa de rádio da Laura Steward, tanto eu quanto a Jodi Miller falamos disso com muita ênfase, ouça a entrevista abaixo e reflita sobre o assunto.


Obrigado 2016, você foi muito, muito bom mesmo. 2017, agora é sua vez de exceder as expectativas e ser ainda melhor! Opa, mas isso depende também que eu faça minha parte e extenda meu esforço para bater a mim mesmo no próximo ano. Então vamos nessa!

Feliz Ano Novo! 

sexta-feira, dezembro 16, 2016

O Tempo

Hoje me ponho a refletir sobre o quão rápido o tempo passa, na realidade tal reflexão começou no início do mês de Dezembro quando minha filha mais velha completou 17 anos, e eu ainda com a memória viva em minha mente do dia que ela nasceu, quando eu era capaz de segurá-la com uma mão. A medida que o tempo passa, os cabelos brancos passam a ser a maioria e você se da conta que a maior parte do seu tempo aqui na terra já passou, você começa a refletir sobre o que você queir deixar, não só para seus filhos, família e amigos, mas para pessoas que ainda tem uma vida inteira pela frente, ou pessoas que se encontram naquele momento de baixa estima, pessoas que de fato precisam de motivação para continuar.

Por este motivo eu venho me dedicando a ajudar meu antigo treinador Greg McCoy no projeto de Transformação Física de pessoas. Participei do Transformation 1, 2 e 3 como coach motivacional para o o grupo. É um trabalho voluntário, mas que traz algo sem preço: ver pessoas mudarem e serem mais felizes. Lançamos o Transformation 4 (ver vídeo abaixo) que começa em Janeiro, e estarei mais firme que nunca neste papel motivacional para todos os inscritos.


O tempo também trás surpresas, essa semana fui entrevistado em um programa de rádio deuma autora de livros aqui nos EUA, Laura Steward. Conheci a Laura em uma palestra que ela ministrou na Microsoft em 2013 e quando estava escrevendo meu livro Alcance seu Melhor, citei o nome dela como uma fonte de inspiração para mim escrever este livro. Durante a entrevista ela não só me disse que adorou o livro mas que eu ler minhas palavras, ela chorou. Fiquei sem palavras ao ouvir isso, pois a Laura é uma super profissional, escritora e já palestrou para centenas de empresas grandes, viaja o mundo todo, e aqui vem ela dizer que eu a emocionei. Sem dúvida fiquei lisogeado e muito agradecido pelo depoimento.

Mas foi dia 15 de Dezembro que algo muito gratificante aconteceu, tive a oportunidade de palestrar para 92 estudades de uma Escola Pública de Itapipoca / Ceará. Essa é a segunda vez que faço isso, última vez foi em 2014 e ontem foi especial, pois o tema da palestra era sobre “Alcançar os Objetivos”. Para mim, poder motivar essa geração de meninos e meninas a buscarem o sonho deles, não limitarem a visão do agora como sendo o futuro, foi extremamente gratificante. A palestra está disponível abaixo e no final tem um ótimo bate papo de perguntas e respostas:


O nível de atenção de todos eles enquanto eu falava me mostra que é justamente nos atos mais simples que nos encontramos a satisfação completa.


E claro, no final esta bela foto que me enche de felicidade, ver o sorriso de cada um deles, jovens com uma vida inteira pela frente e que devem continuar sonhando em algo melhor, acredidanto em si e que o resultado vem com o fruto do esforço pessoal.


Pois é, hoje fico mais velho, e como é bom ficar mais velho....sério mesmo, pois com o amadurecimento você consegue começar a ver coisas que você não via antes. Reconhecer o que era tido como “normal”, como sendo uma coisa que te motiva, os conceitos mudam, a perspectiva muda e tudo muda para melhor, pois agora você se preocupa muito mais em ver o sucesso do próximo que o seu pessoal, na realidade seu sucesso pessoal passa a ser uma consequencia de tudo isso. Tem uma frase no filme Rocky Balboa, onde ele está tentando readquirir a licença de boxeador dele, e ele diz:

“Sabe de uma coisa, quanto mais velho eu fico, mais coisas eu tenho que deixar para trás, isso é a vida.”

Sem dúvida, já perdi Tios, Tias, meu Pai, amigos, e quanto mais avanço na estrada da vida, mais coisas vão ficando para trás, mas não posso reclamar do trajeto natural da vida, pois sou abençado de poder viver, de poder ver minhas filhas crescendo com saúde, de poder fazer o que eu gosto, de ter encontrado a esposa perfeita para mim (minha esposa), de ter uma mãe que fez tudo por mim (e ainda faz), de ter amigos espetaculares, de ter pessoas que acreditam no meu trabalho. Por este motivo é que a cada aniversário eu celebro a vida, a experiência que aumenta, as novas experiências e sempre olhando para frente e pensando: o melhor ainda estar por vir.

Obrigado!

quarta-feira, outubro 05, 2016

Criando Hábitos para Progresso Pessoal


Recentemente estive em Atlanta, participando do Ignite 2016 e por conscidência do destino, um grande amigo que não via a 15 anos (desde que ele se mudou para o Canadá), estava também em Atlanta a trabalho e tivemos a oportunidade de jantar. Antes de mais nada foi ótimo ver o “cabra”, amigo, cearense nato e que tem um mindset muito parecido com o meu em vários pontos. Pois bem, conversa vai, conversa vem e começamos a tangenciar para o assunto de forma física, alimentação, disciplina, etc. Durante a conversa citei um livro que estou ouvindo via Audible, chamado “The Power of Habit” (O Poder do Hábito). 


Isso foi a deixa perfeita para a pergunta: como manter o hábito enquanto está viajando? Essa pergunta faz total sentido para minha situação, pois trabalho de casa e com isso tenho um controle maior sobre meu tempo, meus horários de break, minhas alimentações a cada três horas, etc. Com o estilo de vida que vivo, procuro antes de qualquer viagem (antes mesmo de comprar as passagens) olhar uma série de coisas, como:
  • Tem microondas no hotel?
    • Se não tem, tem como alugar um?
  • Tem mini freezer no quarto?
    • Se não tem, tem como alugar um?
  • Tem academia no hotel?
    • Se não tem academia no hotel, tem alguma por perto?
Neste pequeno questionário de três perguntinhas consigo abranger parte dos elementos básicos da minha rotina: alimentação e treino. O resto fica para a agenda da viagem do trabalho, que por sua vez também é estudada e avaliada com antecedência. Por exemplo: procuro agendar encontros sociais (como jantar) com amigos para restaurantes que tenham uma opção mais “clean” de comida. Muitas vezes vou dou preferência ao Cheesecake Factory, que apesar do nome sugerir que só tem Cheesecake, na realidade não é verdade, tem tudo, inclusive um salmon com brocollis que é uma delícia.

Após este planejamento inicial, já começo a preparar-me psicologicamente para uma nova rotina começando na Segunda. Por exemplo, quando vou para Redmond (e irei mês que vem para o Blue Hat), já sei que tenho que acordar 3 da manhã (que por sua vez é 5 da manhã aqui no Texas). Arriégua mah, por que? Justamente por que não quero alterar minha rotina de acordar todo dia as 5 da manhã. Mantenho a minha “Time Zone” de origem e no máximo as 8 da noite (10 no Texas), procuro estar de volta no hotel.

Ouvindo este livro passei a enteder vários fatores relacionados a importância de manter uma rotina para alcançar o sucesso em uma determinada área. A repetição constante de uma ação traz a perfeição, e no ponto de vista de saúde, isso é ainda mais válido. Muitas pessoas desistem de um programa de mudança física pois se for fazer corretinho, leva tempo para ter resultados sólidos, mas é justamente esse o ponto. A consistência na execução do plano que vai trazer resultados reais a longo prazo.

Essa semana fui designado a fazer o mentorhisp de uma amiga de trabalho, e na conversa que tive com ela essa semana citei justamente isso: consistência na execução. Sempre tentando executar melhor que o dia anterior, sempre tentando buscar o melhor de si nas pequenas tarefas, pois no final os detalhes tem um peso enorme.

O hábito de executar um plano, mesmo que você fisicamente não queira, não esteja “com vontade”, é o que vai diferenciar o resultado final: sucesso ou falha. Manter-se motivado quando tudo está dando certo é uma maravilha, todo mundo celebra, todo mundo comenta e todo mundo compartilha....agora buscar forças para se auto motivado quando tudo está dando errado, mas você sabe que é preciso olhar pra frente e continuar executando, aí é que mora a verdadeira vitória e o verdadeiro vencedor. As circustâncias nem sempre vão ser boas, e isso faz parte, é normal e esperado. Cabe a você a sempre olhar por oportunidades de crescer, mesmo que o cenário pareça sem esperanças.

Crie o hábito de fazer correto, executar com precisão e de forma constante, na hora certe colherás o fruto desta fórmula e se não colher no tempo que esprava, é por que não calculou correto, com isso continue executando até ter o resultado que quer. 

domingo, agosto 21, 2016

Chegar ao destino mas sempre sabendo que não é o fim

Os últimos 30 dias para mim foram super intensos, pois foi a reta final de algo que começou em Abril deste ano. Em Abril comecei minha preparação para o campeonato NPC (liga amadora de fisiculturismo dos EUA) Vickie Gates. Foram 16 semanas de treino intensos, mas sempre lembrando que isso é meu hobby e não meu trabalho, ou seja, não poderia deixar isso influenciar nas minhas atividades no meu trabalho na Microsoft e nos meus projetos a parte, pois estava escrevendo o livro de Azure Security para Microsoft Press (que apesar de ser Microsoft, não tem nada haver com o que faço durante o dia na Microsoft em si – é um contrato a parte e só posso escrever fora do meu horário de trabalho). Para completar minha escassez de horário, resolvi entrar na banda de adultos da School of Rock, com ensaios semanais as quartas, de 8:45 as 11 da noite. E também fui convidado pelo meu antigo treinador (Greg McCoy) para ser coach motivacional do grupo de pessoas que estavam no desafio de Transformação (Transformation Challenge). 


No topo disso minha vida particular não pode ser afetada, acompanhar minhas filhas nas atividades delas, piscina em churrasco no final de semana com as meninas e esposa, em fim...tudo que tem que ser feito.


Como parte do treinamento de preparação para o Vickie Gates, tinha que treinar duas vezes por dias nas primeiras 12 semanas, e no último mês, 3 vezes por dia. Durante o primeiro treino que ocorria 5 da manhã (1 hora de cardio em jejum na escada), eu sempre procurava ouvir um livro motivacional (via Audiobook) e no último mês resolvi ouvir o livro The Golden Rules: 10 Steps to World-Class Excellence in Your Life and Work – escrito por Bob Bowman (treinador do Michael Phelps).
Esse livro para mim foi um fator determinante do meu sucesso nestes últimos 30 dias, tá certo que esses últimos 30 dias foram o “sprint” final, pois não devo ignorar o trabalho realizado a cada mês desde Abril, mas muitas vezes é na reta final que você pode cometer erros que vão colocar todo o trabalho dias meses em perdição, e era isso que estava tentando evitar. O livro traz 10 regras básicas para suceder no esporte, na carreira e na vida como um todo. O Bob fica falando sobre as regras e exemplificando como elas foram aplicadas ao Michael Phelps durantes os 15 anos que trabalhou com ele (esse é um livro novo, saiu aqui nos EUA agora em Maio, então cobre também fatos da preparação para Rio 2016).


Quanto mais eu ouvia, mais eu me identificava com coisas que eu já fazia, inclusive coisas que usei no meu livro Alcancer seu Melhor, pois são coisas que quando começamos a fazer vimos que é básico, todo mundo sabe, mas nimguém faz, justamente por ignorar o fator de que os pequenos detalhes fazem a diferença. Por exemplo, regra 5.1 do livro do Bob: “Sucesso se torna uma rotina quando você tem uma rotina”. Eu sou movido a rotina, até mesmo quando estou viajando que minha rotina vai sair do normal, tento planejar como será cada passo da minha semana neste local remoto, que horas devo acordar para treinar, que horas devo me alimentar, como irei desempenhar minhas tarefas fora de casa, que horas vou falar com minhas filhas e esposa via Skype...tudo está coberto. Sei que somos humanos, e sei que não temos controle do tempo, da natureza e da grande maioria das situações, mas se temos uma rotina e temos um plano diário para executar, pelo menos temos um “norte” para seguir e fazer acontecer, podemos não ter controle de tudo, mas temos que ter a resposabilidade de dizer: o que eu tinha para fazer e estava no meu controle de executar, eu fiz conforme o planejado.

A disciplina de fazer acontecer diariamente é o que vai determinar o que você colhe no futuro, sem sombra de dúvida. Pois bem, o primeiro desafio de Julho foi dia 22 de Julho, bater o peso de 185 libras para entrar na categoria meia pesada do Vickie Gates, feito com sucesso. Entrei em 4 divisões, ganhei 3 e fiquei em quarto lugar em outra: missão cumprida


E agora? Neste âmbito estava coberto, pois já sabia que o que queria. Após competir no Sábado e ganhar, tirei o Domingo off de treino e na segunda voltei para o treino e para o programa nutricional. Olhando para frente e pensando: agora estou a 4 semanas da próxima competição: Bob NPC Championship! Vamos nessa.

Agora veja bem, isso foi no sábado, tirei o Domingo off de treino e no Domingo a noite viajei para Seattle para participar do TechReady (maior evento técnico interno da Microsoft), iria palestrar sobre Azure Security Center. Mantive meu plano nutricional em pleno um evento cheio de “guloseimas”, treinei todos os dias 4 horas da manhã, para não atrapalhar o evento e para também ter tempo de estudar. Entreguei a palestra com sucesso, ótima avaliação do público com score de 4.78 (de 5), volto para casa realizado e sabendo de uma coisa: ainda não acabou. Chegando em casa dia 29 de Julho, reviso o último capítulo do livro de Azure Security e entrego a revisão final. O prazo que recebemos da Microsoft Press para entregar o livro completo era dia 30 de Julho, finalizamos dia 29, mais uma missão cumprida. Mas, o melhor de tudo era saber: ainda não acabou!


Semana seguinte começa ocupada, entrevista para o Canal 9 sobre Azure Security Center e OMS, feita com sucesso e já vistas 19 mil vezes (até agora), em seguida recebi uma ligação de uma jornalista da TechTarget me pedindo uma entrevista sobre Segurança de dispositivos móveis, feito e publicado por ela


De alguma forma essa agenda que para muitos parece louca, para mim torna-se divertido, pois é “diversificada” e “desafiadora”, mudar minha mente para tocar bateria com a banda, depois treinar para um campeonato de fisiculturismo e depois imegir no mundo de tecnologia e segurança, me deixa motivado....e ter minha linda família ao meu lado para celebrar tudo isso me traz a paz e a motivação para continuar. Ontem meu mês chegou a 99% do fim com um ótimo terceiro lugar em um campeonato lotado de grandes atletas, mais uma excelente experiencia para mim que estou sempre procurando aprender mais e mais neste esporte.


Digo 99% pois hoje tenho minha estreia na bateria da banda da School of Rock, tocando em uma das maiores casas de show aqui da redondeza de Fort Worth, o famoso Billy Bobs. O melhor de tudo é que o show começa com a Ysis tocando bateria (Hole in the Sky do Black Sabbath), depois entra a Yanne cantando Eagles e eu termino a noite com Guns and Roses e outras músicas. Sem dúvida um desfecho perfeito para este final de semana.



Mas sabe o que é o melhor de tudo? É que eu sei a resposta do: e agora? Sabe por que isso é importante? Pois um dos grandes problemas de algumas pessoas que chegam ao seu destino é não saber que aquele destino NÃO pode ser o final, a vida é uma eterna (enquanto estamos vivos claro) jornada de conquistas e perdas, mas sempre precisamos olhar para frente e procurar o progresso. Não saber para onde ir ao chegar no destino pode ser a diferença entre um sucesso temporário e um sucesso constante. Quantos atletas Olímpicos (principalmente os que não tem patrocinio) ganham a sonhada medalha e depois se perguntam: puxa, e agora que consegui, o que faço com isso? Muitos não sabem capitalizar em cima desta conquista e sequer sabem o que fazer de agora em diante.

Por isso digo: na vida você sempre tem que ter a visão de onde você quer chegar, mas sempre sabendo que SEMPRE, sempre há algo mais e que você enquanto estiver vivo, poderá continuar evoluindo, desde que tenha saiba como trabalhar sua mente para manter-se  auto-motivado a desafiar-se mesmo quando todos estam lhe aplaudindo dizendo que você já fez tudo que tinha que ser feito. Sempre há algo mais para fazer, nem que para isso você tenha que abraçar outra área. Quer exemplo melhor? Michael Phelps se aposentou e a declaração dele no final foi: isso não é o fim mas o começo de outra jornada. Como li o livro do técnico dele, sei do que ele está falando e anote: o Michael vai fazer ainda mais pelo esporte da natação fora das piscinas do que ele fez dentro e é esse o grande desafio dele agora.

Em suma: não há fim, apenas pequenas pausas para celebrar uma conquista e ficar feliz pelo começo de outra jornada.


Abraços!